10 pensamentos que impedem a comunicação com falantes nativos

pensamentos que impedem a comunicação com falantes nativos

Uma interação simples com falantes nativos de português é uma excelente forma de avaliar os seus conhecimentos linguísticos. Além disso, comunicar com nativos é um poderoso exercício para praticar português e aprender mais sobre esta língua.

A verdade é que, apesar das vantagens deste exercício, para muitas pessoas, comunicar com falantes nativos pode ser um momento de grande tensão. Essa tensão pode dever-se ao contacto com variedades regionais de português, ao débito de fala mais rápido dos nativos ou ao medo do julgamento dos seus erros e dificuldades.

Se é uma das pessoas que sentem essa tensão, deve ficar por aqui e ler o artigo até ao fim! Neste artigo, reunimos 10 pensamentos que impedem a comunicação com falantes nativos e mostramos-lhe como ultrapassá-los.

Os 10 pensamentos que impedem a comunicação com falantes nativos

1 – “Tenho pouco vocabulário. O melhor é falar noutra língua!”

Não se preocupe com o seu vocabulário limitado! Se quer construir uma frase e sente que lhe falta algum vocabulário, tente encontrar no palavras de significado equivalente no conjunto de palavras já conhece. Certamente, os falantes nativos vão entender a mensagem e, se a palavra que escolher não for a mais adequada, é muito provável que lhe ensinem a palavra correta.

2 – “É melhor pedir aos meus amigos para falarem nesta situação. Eles falam melhor do que eu!”

Este é um erro que não deve cometer! É um erro mais grave do que qualquer erro gramatical.
É muito natural que tenha vontade de pedir aos seus amigos fluentes em português para comunicar com falantes lusófonos. Para si, será mais confortável porque não precisará de expor as suas dificuldades e as suas necessidades serão satisfeitas (por exemplo, comprar comida num café ou perguntar como se chega ao hotel).
No entanto, esta experiência, além de impedir que pratique e melhore o seu português, fará crescer a sensação de que não é capaz de comunicar de forma eficaz e de que necessita sempre do apoio de outras pessoas. E, assim, por vezes, nasce a frustração!

3 – “Não posso misturar o português com outra língua. Vão pensar que não estou a esforçar-me!”

Nenhum falante nativo vai julgar negativamente as suas tentativas de comunicação em português se misturar a língua portuguesa com outras línguas. Para um falante nativo, esse é um sinal de que se esforça para falar a língua portuguesa, mesmo com algumas dificuldades, e, seguramente, vai ganhar a simpatia e o carinho dessa pessoa.
Ao misturar a língua portuguesa com a sua língua materna, pode até descobrir o interesse da pessoa com quem fala em aprender a sua língua. Daí pode resultar uma experiência de aprendizagem espontânea nos dois sentidos!

4 – “Ninguém vai entender a minha pronúncia…”

Acha que o facto de ter uma pronúncia que denuncia a sua língua materna é um problema para os falantes nativos de português? Então, esqueça completamente essa ideia!
Nenhum falante nativo vai ficar perturbado com a sua pronúncia estrangeira e, na maioria dos casos, essa pronúncia não vai afetar a compreensão da mensagem. Aliás, se quer melhorar a sua pronúncia, vai ter de praticar muito e, para isso, nada melhor do que interagir com falantes nativos!

5 – “Estou em Portugal e aprendi português do Brasil. Preciso de aprender português europeu!”

O pensamento contrário também seria possível: “Estou no Brasil e aprendi português europeu. Preciso de aprender português do Brasil!”.
Sabia que portugueses e brasileiros, falantes nativos de português, também têm problemas de comunicação entre si? Em geral, esses problemas de comunicação são ultrapassados com bom humor. Não sinta que o facto de falar uma variante de português diferente da variante do país onde está é um grande problema. Pode descansar!
Existem muitas características comuns à variante europeia e à variante brasileira do português e, em geral, as diferenças (por exemplo, no vocabulário) são fáceis de aprender.

6 – “Tenho muitas dificuldades na conjugação verbal. Se não conjugo corretamente os verbos, não posso comunicar!”

Sabemos que a conjugação verbal em português é muito complexa e, até nos níveis avançados da língua, os erros acontecem… e são naturais. Dominar a conjugação verbal em português exige muita prática e, muitas vezes, os falantes nativos entendem o sentido global do seu discurso, mesmo que falhando a conjugação verbal. Isto deve-se ao facto de as suas frases serem constituídas por outros elementos que permitem reconstruir o sentido da sua mensagem, tais como expressões de tempo (hoje, ontem, amanhã…).
Se quiser melhorar a conjugação verbal, aproveite os recursos didáticos gratuitos do Falar Português aqui.

7 – “Não sei exatamente o que dizer nesta situação mas tenho vergonha de perguntar.”

Nunca tenha vergonha de perguntar o que dizer ou fazer numa determinada situação! Dessa forma, poderá evitar alguns erros, aprender coisas novas e mostrar aos falantes nativos com quem interage que se interessa pela língua que falam e pela sua cultura. Em troca, poderá ainda explicar-lhes como funciona a interação numa situação de comunicação similar na sua língua e no seu contexto cultural.

8 – “Será que vou desrespeitar alguém?”

Um dos maiores medos de quem aprende português como língua estrangeira é o de não dominar bem as regras sociais.
Em português, as formas de tratamento e os respetivos graus de formalidade podem ser um problema. São muito complexos e, por vezes, são interpretados de formas diferentes, consoante as regiões e os indivíduos com quem falamos. Por essa razão, deve seguir o conselho do ponto 7.: pergunte!
Se tem dúvidas, a melhor solução é perguntar aos falantes nativos se o seu registo de língua é adequado à situação. Assim, mesmo que esteja a cometer erros, os nativos vão entender que não o faz por desrespeito.

9 – “Não entendi nada do que me disse, mas se pedir para repetir vai pensar que não sei nada de português…”

A saga “Pergunte, por favor!” continua aqui! Se não entender o que lhe dizem, pergunte, por favor! Os falantes nativos de português são pessoas pacíficas, que, muito provavelmente, aprendem ou já aprenderam outras línguas e sabem exatamente o que está a sentir. Se tentar adivinhar o que lhe disseram ou perguntaram, é possível que não acerte e que crie um grande mal-entendido.

10 – “Vão todos rir-se de mim…”

O maior pesadelo para quem está a aprender uma língua estrangeira é passar pela humilhação de não ser compreendido e de ter falantes nativos à sua volta a rirem-se dos seus erros. Normalmente, isso não acontece de forma traumatizante e negativa!
Se um falante nativo se rir de um dos seus erros, vai explicar-lhe por que razão esse erro é engraçado e vai usar o riso para aliviar a tensão e a vergonha que poderá estar a sentir. O riso nem sempre é um sinal negativo!

Como vê, os pensamentos que impedem a comunicação com falantes nativos devem ser ultrapassados, para que consiga melhorar o seu português. De uma forma geral, os falantes nativos de português não são avaliadores cruéis, mas sim excelentes professores e aliados na sua missão de falar fluentemente português. Se não acreditar, pode fazer uma experiência numa das aulas grátis do Falar Português (clique aqui).

Se quer receber mais dicas para desbloquear o seu português e materiais exclusivos para expandir os seus conhecimentos em língua portuguesa, não se esqueça de subscrever a nossa newsletter.

Encontre a motivação e a orientação necessárias para estudar português com a agenda semanal Português em Dia. Clique na imagem e descarregue gratuitamente a agenda!