7 erros de português que precisa de resolver de imediato

Quem aprende a língua portuguesa como língua estrangeira, encontra muitas dificuldades pelo caminho. No entanto, o português pode ser também problemático para os falantes nativos e prova disso são alguns dos erros cometidos frequentemente por esses falantes.

A pensar nas dificuldades de todos, apresentamos sete erros de português que precisa de resolver de imediato. Leia o artigo e teste os seus conhecimentos!

1- À vs.

A confusão entre à e é uma das mais recorrentes em português, mas estas duas palavras têm significados bem diferentes.
À é a contração da preposição a com o artigo definido do feminino singular a. Por sua vez, é a forma da terceira pessoa do singular do Presente do Indicativo do verbo haver, que significa existir.

DICA: Para verificar se deve usar à ou , substitua a palavra pelo verbo existir ou por uma forma do verbo haver noutro tempo verbal (ex.: houve)

Exemplos:

  • À
  1. Eu vou à casa da Rita. (vou a + a casa)
  2. Perguntei à menina quantos anos tinha. (Perguntei a + a menina)
  1. flores no jardim. (Existem flores no jardim.)
  2. Comecei a trabalhar dez anos. (Com expressões de tempo, usa-se o verbo haver)

2- A gente vs. Agente

Em português, a gente tem um sentido correspondente ao do pronome pessoal nós, apesar de ser uma terceira pessoa do singular. A palavra agente refere-se àquele que age ou atua, podendo também referir-se a um membro da força policial.

Exemplos:

  1. A gente vai correr amanhã.
  2. O agente da polícia pediu-me o documento de identificação.

3- À parte vs. Aparte

Dizer que algo está à parte significa que está separado ou à margem. Quanto à palavra aparte, o seu sentido é o de comentário marginal que interrompe quem fala. No teatro, um aparte é um comentário feito por uma personagem, interrompendo o seu discurso e dito num tom diferente (como se a personagem falasse consigo mesma ou com o público).

Exemplos:

  1. O João está à parte do seu grupo de amigos.
  2. Deixe-me fazer um aparte na conversa.

4- Chama-se vs. chamasse

Para ilustrar este erro de português, escolhemos o verbo chamar-se, apesar de esta confusão ocorrer também na conjugação de outros verbos. A diferença entre as duas formas apresentadas é uma diferença de tempo e modo verbal.
A forma chama-se corresponde à terceira pessoa do singular do verbo chamar-se no Presente do Indicativo. Quanto à forma chamasse, estamos perante a primeira ou a terceira pessoa do singular do verbo chamar-se no Pretérito Imperfeito do Conjuntivo.

Exemplos:

  1. Ela chama-se Luísa. (Presente do Indicativo)
  2. Se eu me chamasse Mariana, ficaria mais contente. / Se ela se chamasse Mariana, ficaria mais contente. (Pretérito Imperfeito do Conjuntivo)

5- Descrição vs. discrição

A diferença entre estas duas palavras é apenas de uma letra, sendo o suficiente para alterar completamente o sentido de uma frase. Fazer uma descrição significa descrever alguma coisa, ou seja, relatar as características de algo. Por sua vez, a discrição é a qualidade de quem é discreto, recatado, reservado ou comedido.

Exemplos:

  1. Vamos fazer a descrição desta imagem.
  2. Agradeço discrição no tratamento deste assunto.

6- Ir ao encontro de… vs. ir de encontro a…

As expressões ir ao encontro de e ir de encontro a transmitem, em ambos os casos, a ideia de movimento em direção a algo. Ir ao encontro de transmite a ideia de um movimento gradual, delicado e sem violência, ao contrário de ir de encontro a, que indica um choque violento ou a ideia de ir contra qualquer coisa. As duas expressões mencionadas podem ser usadas para exprimir a concordância (ir ao encontro de) ou a discordância (ir de encontro a) em relação às ideias ou opiniões de outra pessoa.

Exemplos:

  1. Fui ao encontro do meu amigo para lhe dar um abraço.
  2. Discordo completamente da Ana. As minhas ideias vão de encontro às suas.

7- Vem vs. veem

As palavras vem e veem correspondem a formas dos verbos vir e ver, respetivamente. Vem é a terceira pessoa do singular do verbo vir no Presente do Indicativo, enquanto veem corresponde à terceira pessoa do plural do verbo ver no Presente do Indicativo.
DICA: Lembre-se que a forma do verbo ver tem dois “e”, ou seja, o número de “e” é igual ao número de olhos de que dispomos para ver.

Exemplos:

  1. O Rodrigo vem jantar às 20h. (verbo vir)
  2. Eles não veem bem sem óculos. (verbo ver)

Para verificar se resolveu os sete erros de português apresentados, responda ao questionário que se segue.

Não perca as dicas do Falar Português e subscreva a nossa newsletter!